25 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

09 de Outubro de 2021, 08h:00 - A | A

VARIEDADES / 'MOLNUPIRAVIR'

Entenda como age o remédio anticovid que pode reduzir mortes

Medicamento reduz em cerca de 50% hospitalizações e mortes em casos leves e moderados de COVID-19

MINHA VIDA




A cura da COVID-19 ganhou uma nova esperança na última sexta-feira (1/10), quando a farmacêutica MSD (Merck) divulgou que o medicamento Molnupiravir ajuda a reduzir pela metade o risco de hospitalização e morte em casos leves e moderados de coronavírus.

 

O Molnupiravir é um comprimido antiviral que combate a replicação do coronavírus (SARS-CoV-2) no organismo, atingindo o código genético do vírus. O anúncio foi feito com a divulgação dos resultados do estudo de fase 3 do Molnupiravir.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

Para o estudo foram avaliados mais de 750 voluntários, todos com mais de 18 anos e com sintomas de COVID-19 há, pelo menos, cinco dias. Essas pessoas também apresentavam comorbidades para a doença do coronavírus, como idade acima de 60 anos, obesidade, hipertensão, entre outras.

Dos voluntários que tomaram o remédio, 7,3% foram hospitalizados ou morreram; por outro lado, dos que receberam o placebo usado no estudo,14,1% foram internados ou faleceram.

Com o resultado positivo do Molnupiravir, mesmo no início da pesquisa, a Merck pausou momentaneamente os estudos com a substância por recomendação do Comitê de Monitoramento de Dados da Food and Drug Administration (FDA), a agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos. A ideia é pedir autorização para o uso do Molnupiravir para o FDA nos EUA e demais agências regulatórias - e, posteriormente, seguir com as pesquisas.

"Como o vírus continua a circular amplamente e as opções terapêuticas disponíveis atualmente são infundidas ou pedem acesso a uma unidade de saúde, os tratamentos antivirais que podem ser usados em casa para manter as pessoas com COVID-19 fora do hospital são extremamente necessários", disse Wendy Holman, CEO da Ridgeback Biotherapeutics, empresa parceira do estudo com o Molnupiravir.

É importante lembrar que o medicamento, caso aprovado, não substitui as vacinas da COVID-19. Elas ainda são o principal método de prevenção contra o coronavírus. O novo medicamento é mais um aliado na busca da cura para a COVID-19, mas as formas de prevenção ainda são importantes para o controle da pandemia do coronavírus.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao