11 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

31 de Julho de 2022, 08h:28 - A | A

POLÍCIA / PREJUÍZO DE R$150 MIL

Turistas chegam a Caldas Novas, descobrem golpe, ficam na rua e sem comida

168 turistas, que pagaram cerca de R$ 1,2 mil por cinco dias em Goiás, saíram de Belo Horizonte, em Minas Gerias, e após o golpe ficaram até sem como voltar para casa

MÁRIO ANDREAZZA
REDAÇÃO G5



Uma guia de turismo, nome não divulgado, deu golpe, de aproximadamente R$ 150 mil, em 168 turistas que saíram de Belo Horizonte, em Minas Gerias, e seguiram para passar alguns dias de “férias” em Caldas Novas (169 km da Capital), onde as vítimas descobriram que “quase nada” estava pago e eles não teriam onde se hospedar, se alimentar e até mesmo voltar para casa, já que o pacote vendido pela acusada oferecia cinco dias de hospedagem com café da manhã, almoço ida e volta, mas nem mesmo a volta para BH a mulher pagou.

De acordo com a investigação, a mulher usou o dinheiro pago pelos turistas, que chegavam em até R$ 1,2 mil por pessoa, para comprar uma empresa de turismo com dois ônibus e ficou apenas com R$ 4 na conta.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

“Uma viagem que era para ser de férias virou um inferno”, disse uma turista.

A mulher foi levada para a delegacia da Polícia Civil de Caldas Novas, nessa quinta-feira (28). O delegado Tiago Fraga Ferrão ouviu algumas pessoas envolvidas e prendeu a acusada em flagrante por suspeita de estelionato.

"O prejuízo pode chegar próximo aos R$ 150 mil", disse o delegado.

DE acordo com a o0corrência, o grupo saiu de Belo Horizonte no domingo (24) e chegou à cidade das águas quentes na manhã do dia seguinte. Cada pessoa pagou cinco diárias com café da manhã e almoço inclusos, além do transporte de ida e volta.

Os problemas começaram a aparecer assim que eles chegaram ao local, quando descobriram que a dona da agência deu valores “simbólicos” para cada “fornecedor” que prestaria serviços aos turistas, entre eles, pelo menos três imobiliárias, além da empresa de ônibus.

“Todo mundo foi lesado. Quando chegamos aqui, começaram as confusões. Não foi paga a alimentação, não foi paga a hospedagem. Não queriam deixar a gente fazer check-in. Ela deu uma entrada muito simbólica para cada coisa”, explicou uma das vítimas.

Após descobrirem a situação, o grupo conseguiu ficar hospedado no hotel previsto no pacote. No entanto, de acordo com a turista, como não foi pago, o local não forneceu café da manhã e almoço, que foi contratado por eles no pacote. Com isso, ela diz que alguns viajantes passaram dificuldades.

“Algumas pessoas juntaram dinheiro o ano inteiro para virem nessa viagem e não trouxeram muito dinheiro, pois já estava incluso o café da manhã e o almoço. Tem muitos idosos no grupo e até criança com deficiência”, relatou.

Dos 168 turistas, 110 conseguiram fazer um acordo com a empresa de ônibus, pagaram novamente e conseguiram voltar para Minas Gerais. No entanto, outros 58 continuaram em Caldas Novas sem saber como fariam para conseguir voltar para casa.

Até esse sábado (29), a guia continuava presa e o caso em investigação.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao