11 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

16 de Julho de 2022, 11h:57 - A | A

POLÍCIA / CONDENADAS A 32 ANOS DE PRISÃO

Travestis “de programa” torturavam clientes com máquinas de choque, faziam ameaças e extorquiam dinheiro

As condenações foram na quinta-feira (14), pela 3ª Vara Criminal de Rio Verde. As transexuais devem responder pelos crimes de extorsão, roubo e associação criminosa.

REDAÇÃO G5



Travestis “de programa”, 28 e 33 anos, são condenadas a 32 anos e seis meses de prisão por extorquir dinheiro, torturar com choque e ameaçar “clientes”, em Rio Verde (231 km da Capital). Uma motorista de aplicativo foi condenada a um ano de prisão em regime aberto por participação nos crimes.

De acordo com a ocorrência, as acusadas foram presas em outubro de 2021, quando as denúncias começaram a ser registradas na Delegacia de Polícia Civil. À época, um homem de 27 anos, nome não divulgado, morreu baleado durante abordagem policial para prender as travestis.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O delegado Carlos Roberto Batista explicou que o homem que morreu ao ser atingido por tiros dos policiais era suspeito de integrar a organização que praticava estes crimes de extorsão.

"As transexuais atraíam as vítimas por meio de mensagens em aplicativos, se passando por garotos e garotas de programa. As vítimas se dirigiam aos locais combinados achando que iam se encontrar com uma mulher e era um homem e vice-versa", detalhou o delegado, à época.

Leia mais

Briga entre homens e travestis termina com prostituta assassinada com tiro no peito; veja vídeo

Empresário “broxa”, pede dinheiro de volta, atira em travesti e termina preso

Empresário é suspeito de matar travesti; vídeo mostra momento da execução

Depois de atrair as vítimas por meio de aplicativos, as acusadas criavam uma confusão para iniciar a extorsão. Na maioria das vezes, as travestis acusavam os clientes de preconceito e começavam a pedir dinheiro.

"Eles falavam que era por preconceito contra transexual e pediam dinheiro. Clientes relataram transferências de R$ 1,7 mil e R$ 1,5 mil para as suspeitas", esclareceu o investigador.

Segundo o relato de uma vítima à Polícia Civil, ele, como cliente, chegou ao local após marcar encontro com uma mulher, mas se deparou com três transexuais e um homem no local indicado, quando foi agredido com socos, chutes e torturado com uma arma de choque.

“Uma começou a me torturar e mandou os outros ligar o som, fechar a janela, me fechou em um cômodo e começou a me dar choque para eu fazer a transferência. 'Vou passar para a sua esposa que você sai com travestis, com trans'”, disse a vítima.

O delegado Carlos Batista contou ainda que o grupo fez vítimas em Rio Verde e em outros estados.

As condenações foram na quinta-feira (14), pela 3ª Vara Criminal de Rio Verde. As transexuais devem responder pelos crimes de extorsão, roubo e associação criminosa. Além disso, elas também deverão reparar os danos causados às vítimas.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao