25 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

16 de Agosto de 2021, 11h:35 - A | A

POLÍCIA / ROMBO DE R$ 20 MILHÕES

Ex-vereadores e ex-secretários são alvos de operação que investiga corrupção

Grupo criminoso apontado como operador e executor de esquema de desvio de verba pública utilizou de cooperativa

YAGO SALES
REDAÇÃO




Um esquema criminoso envolvendo ex-secretários e ex-vereadores levou forte aparato policial para cumprir mandados de busca e apreensão na madrugada desta segunda-feira (16), em Formosa, em Goiás. 

A operação “Críton”, desencadeada pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, cumpriu 10 mandados de busca e apreensão nas residências de ex-vereadores, ex-secretário, e no gabinete da presidência atual da Câmara de Vereadores de Formosa, na região Nordeste de Goiás.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A decisão do cumprimento dos mandados foi emitido pelo juiz Fernando Oliveira Samuel da 2ª Vara Criminal. Sem poupar ninguém, o magistrado permitiu buscar nos endereços do atual presidente da Câmara de Vereadores Acinemar Gonçalves Costa, conhecido como “Nema”, os ex-vereadores Antônio Faleiro Filho, Emílio Torres de Almeida, Jesulindo Gomes de Castro, Jorge Gomes da Mota, Nélio Marques de Almeida e Wenner Patrick de Sousa, além do ex-secretário Rodrigo Melo da Natividade. Segundo a investigação dos promotores,  entre 2012 e 2016 prefeitos e secretários de Formosa promoveram um esquema de corrupção envolvendo licitações.

Ao invés de contratar por meio de licitação, as prestações de serviços eram feitas por apoiadores e financiadores políticos do grupo. O prejuízo, diz o MP, chegou a R$20 depois de um contrato com a Cooperativa de Catadores de Lixo (Cooperativa Recicla). Em outra operação, foram apontados como envolvidos no esquema os ex-prefeitos Pedro Ivo de Campos Faria e Itamar Sebastião Barreto, além dos ex-secretários Abílio de Siqueira Filho, Eduardo Leonel de Paiva e Gilmar Francisco de Sousa, e da funcionária da Cooperativa Flavineide Rocha. O grupo foi condenado em julho deste ano à prisão que vai de três a cinco anos.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao