28 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

09 de Outubro de 2021, 15h:00 - A | A

PODERES / EM GOIÂNIA

Vereadores que detonaram propaganda do Burger King são investigados por homofobia

Falas foram ditas durante discussão sobre propaganda que celebrava o Dia do Orgulho Gay

WELLYNGTON SOUZA
DA REDAÇÃO




A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar quatro vereadores por homofobia, em Goiânia. Os alvos são Cabo Senna (Patriota), Sargento Novandir (Republicanos), Gabriela Rodart (DC) e Thialu Guiotti (Avante).

Segundo informações do portal G1GO, os parlamentares são suspeitos de falarem frases preconceituosas na Câmara Municipal durante uma discussão sobre uma propaganda de uma rede de fast food que celebrava o Dia Internacional do Orgulho Gay, em junho deste ano.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O inquérito foi instaurado na quarta-feira (6) pelo Grupo Especializado no Atendimento à Vítima de Crimes Raciais e de Intolerância (Geacri). "As falas ocorreram após uma discussão sobre uma propaganda que falava sobre como as crianças veem as relações homoafetivas. Logo após isso, os vereadores falaram que era ‘uma vergonha’, que ‘não era coisa de Deus’, então, fizeram comentários discriminatórios", afirmou.

VEJA A PROPAGANDA: 

Conforme o investigador, nenhum dos suspeitos foi ouvido até o momento. Eles são investigados pelo crime de homofobia, que se enquadra no artigo 20, da Lei 7.716, que cita a “discriminação em razão da orientação sexual ou identidade de gênero”.

Na época, a Defensoria Pública do Estado de Goiás considerou homofóbicas as falas dos vereadores durante debates na Câmara Municipal e emitiu uma nota repudiando os discursos.

Essas declarações merecem atenção, merecem indignação dos demais atores do sistema de Justiça, porque isso acaba prejudicando a sociedade como um todo. Muito embora nesse primeiro momento a discussão tenha ficado restrita ao âmbito do parlamento, o fato é que isso reverbera em toda sociedade e culminar em lesões, perseguições e remoção de direitos”, comentou o defensor público Leonardo César Stutz.

Outro lado

A vereadora Gabriela Rodart (DC) afirmou que “é uma honra ser processada por defender o direito natural e a doutrina da Igreja Católica, ainda sob protestos daqueles que negam a verdade”. Thialu Guiotti (Avante) disse que “não existe ofensa a ninguém”. O vereador Cabo Senna afirmou que não vai se pronunciar até ser intimado, e o Sargento Novandir não se manifestou.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao