19 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

24 de Junho de 2022, 07h:26 - A | A

PODERES / QUER TORRAR R$ 800 MIL COM SHOWS

Prefeito de Cachoeira de Goiás mandou servir farinha a alunos para economizar com merenda

A informação foi dada por uma nutricionista do Município ao MP que entrou na Justiça para barrar a Festa em Louvor ao Divino Pai Eterno, que iria custar quase R$ 800 mil.

REDAÇÃO G5



O Ministério Público Estadual (MPGO) denunciou à Justiça que o prefeito de Cachoeira de Goiás (181 km de Goiânia), Geraldo Neto (PP), orientou uma nutricionista escolar a utilizar preparações que levam farinha e macarrão, por serem produtos mais baratos, e evitar arroz que está com custo elevado.

As denúncias levaram o promotor Ricardo Lemos Guerra a investigar e confirmar os fatos. Segundo Guerra, estudantes matriculados regularmente na rede pública municipal não têm acesso à merenda escolar saudável e adequada, de forma contínua e ininterrupta. Os estudantes do Centro Educacional Municipal Gente Miúda estão recebendo como merenda bolachas e suco ou leite.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

Apesar disso, o prefeito quer torrar quase R$ 800 mil com shows no 134ª Festa em Louvor ao Divino Pai Eterno.

Ao ser acionada, a Justiça determinou a suspensão dos contratos e pregões relacionados a contratações direcionadas aos festejos.

A festa está programada para acontecer entre os dias 24 de junho (esta sexta-feira) e 3 de julho, com entrada franca e apresentação de vários artistas. Os custos deverão ser pagos com recursos próprios.

O promotor ressalta que, embora a justificativa apresentada pelo prefeito para o corte na alimentação escolar seja a necessidade de contenção de gastos, o município de Cachoeira de Goiás se prepara para promover grande evento festivo.

A ação reforça ainda que pesquisas realizadas no Portal da Transparência do município apontaram que recentes contratações de servidores para a prestação de serviços não essenciais, bem como os contratos realizados com os cantores, não foram publicadas.

Para Ricardo Guerra, o valor a ser despendido é desarrazoado, desproporcional e injustificável, vez que o município está deixando de cumprir obrigações para a promoção de serviços essenciais, como é o caso do adequado fornecimento da alimentação escolar, relacionado ao direito fundamental social à educação.

Na decisão, a juíza Bianca Melo Cintra afirma que “o lazer é direito de todos e deve ser assegurado e fomentado, principalmente em datas quando tradicionalmente a comunidade se reúne para comemorações; todavia também deve-se observar que os gastos devem guardar correlação com a realidade financeira e orçamentária da cidade”.

Assim, ela determinou ainda que o município se abstenha de realizar novas contratações de shows artísticos até o julgamento final da ação. Em caso de descumprimento, foi fixado o pagamento de multa diária no valor de R$ 50 mil.

Outro lado

O G5News tenta desde a quinta-feira (23) contato com a Prefeitura de Cachoeira de Goiás em busca de uma resposta, mas até o momento nossas ligações não foram atendidas, nem retornadas.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao