15 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

01 de Julho de 2022, 19h:15 - A | A

PODERES / SUPOSTA RETALIAÇÃO

Empresário denuncia prefeito por "esquema de sepultamentos" e perde concessão de funerária

Pábio Mossoró (MDB), assinou, nesta quarta-feira (29), a revogação do contrato e alega irregularidades na prestação de serviços da funerária Boa Esperança, como suposta negativa para realização de sepultamentos sociais

REDAÇÃO G5



O empresário Fernando Viana, proprietário da Funerária Boa Esperança e detinha concessão dos serviços funerários em Valparaíso (190 km da Capital), que denuncia esquema de “propinas” dentro da Superintendência de Receita Tributária do Executivo, perdeu, nessa quarta-feira (29), o direito de prestação dos serviços, quando o prefeito Pábio Mossoró (MDB) assinou a revogação do contrato com a empresa.

Viana publicou vídeos onde, supostamente, o vereador da base aliada do prefeito Pábio, Paulo Brito (PSC), estaria cobrando propina de R$ 30 mil para fraudar quitação de uma dívida tributária municipal de R$ 187 mil.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O caso ganhou grande repercussão em Valparaíso e o empresário chegou a dar entrevistas e reafirmar que Mossoró foi comunicado do “esquema” ainda no ano de 2019, mas que “desconversou” e não tomou nenhuma iniciativa para investigar a denúncia.

O caso agora foi denunciado ao Ministério Público do estado (MPGO), que deve tomar providências para investigar o fato.

Após as denúncias, nessa quarta-feira (29), o prefeito revogou a concessão da Boa Esperança e apontou irregularidades e alegou que a funerária estaria se negando a realizar sepultamentos sociais, justificando “desligamento dos serviços” e, suposta, cobrança de taxas indevidas.

Viana rebateu as justificativas de Mossoró para cancelar a concessão dos serviços funerários com a Boa Esperança e ainda apontou nova denúncia de corrupção.

O empresário explica que a Central de Óbitos da cidade, que é subordinada à Secretaria de Desenvolvimento Social, cujo o secretário é o vereador Zé Antônio (MDB), colega de partido do prefeito, descumpriu cláusulas do contrato de concessão e, ainda segundo Viana, estaria, supostamente, desviando serviços funerários para empresas clandestinas, o que impedia a prestação do serviço na cidade.

"A Boa Esperança nunca se negou a atender os sepultamentos sociais como contrato manda, só não tínhamos como, nem era previsto na nossa concessão, a gente ainda pagar taxas de concessionários de outras cidades. E quem descumpria o contrato era a secretaria, que desviava os serviços para outras funerárias que estão até lacradas por serem ilegais", exemplificou Viana.

O fato de o prefeito ter revogado a concessão pós denúncias é vista como suposta “retaliação” ao empresário. O caso ganhou repercussão na cidade e nas redes sociais.

Caso chegou ao Ministério Público que deve tomar as providências necessárias de apuração.

O G5 tentou contato com a prefeitura de Valparaíso, mas não teve as ligações atendidas e deixa o espaço aberto para o posicionamento de todos os citados na reportagem.

 

 

Veja AQUI íntegra do decreto que revoga a concessão da Funerária Boa Esperança

 

 
 

 

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao