19 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

27 de Junho de 2022, 07h:38 - A | A

PODERES / DINHEIRO DO CONTRIBUINTE

Em meio à crise nos preços, gastos da Câmara com combustíveis disparam

Cota parlamentar do primeiro semestre de 2022 registrou o maior valor destinado a gasolina, em comparação aos últimos quatro anos

VICTOR FUZEIRA
METRÓPOLES



Enquanto discute alternativas para baratear os preços de gasolina, diesel e etanol, a Câmara dos Deputados tem aumento considerável nos gastos das cotas parlamentares apenas com combustíveis. Somente no período de janeiro a junho de 2022, os deputados desembolsaram R$ 8.663.898 para abastecer carros oficiais e veículos alugados.

Já é a maior despesa do tipo contabilizada pela Casa Legislativa em um primeiro semestre, em comparação aos últimos quatro anos (2019 a 2022). A tendência, porém, é de que esse número suba ainda mais.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O levantamento feito pelo Metrópoles com dados do Portal da Transparência da Câmara dos Deputados calcula as despesas realizadas de janeiro ao presente momento, a uma semana do fim de junho. Além disso, os parlamentares dispõem do prazo de 90 dias para apresentar documentos comprobatórios dos valores.

Para se ter uma ideia, o uso da cota parlamentar exclusivamente para abastecimento de automóveis já é 28% – em torno de R$ 2 milhões – mais alto do que o montante referente ao mesmo período do ano passado, sem considerar o mês de junho por encerrado.

O gasto está, inclusive, acima da inflação contabilizada entre janeiro de 2021 e maio deste ano – o que significa que, além do aumento no valor médio dos combustíveis, houve ampliação do consumo por parte dos deputados.

Cota parlamentar é uma quantia de dinheiro que cada congressista pode gastar com despesas relacionadas ao exercício do mandato, como aluguel de escritório no estado de origem, passagens e combustível, entre outros.

Dobro de 2020
Ao comparar a despesa atual com a registrada há dois anos, a diferença é ainda mais gritante. Em 2022, deputados gastaram mais que o dobro dos primeiros seis meses de 2020. Vale lembrar que o período de dois anos atrás foi marcado pelo início da pandemia da Covid-19 no Brasil e pela adoção de medidas restritivas para conter o avanço da doença no país.

Mesmo assim, o gasto com abastecimentos registrado até o momento já superou os níveis pré-pandêmicos. Em 2019, por exemplo, levando em conta os seis primeiros meses do ano, foram despendidos R$ 8.029.140,74 da cota parlamentar apenas com combustíveis. Na prática, portanto, o ano de 2022 custou aos cofres públicos R$ 630 mil a mais do que o contabilizado há três anos.

Confira:

 

Quem mais gastou
No primeiro semestre deste ano, o deputado José Airton Félix Cirilo (PT-CE) foi o parlamentar que mais gastou dinheiro da cota. No período, o petista registrou despesa mensal de R$ 6 mil, totalizando R$ 36 mil. Na sequência, está o deputado João Carlos Bacelar (PL-BA), que despendeu R$ 35.982,68 da cota nos seis primeiros meses.

Além de Bacelar, outros quatro parlamentares da bancada da Bahia também figuram entre os dez mais “gastões” da Câmara; são eles: José Rocha (União); Charles Fernandes (PSD); Marcelo Nilo (Republicanos-BA); e Arthur Oliveira Maia (União).

Em seguida, aparecem a deputada Marcivânia (PCdoB-AP) e os deputados Lucio Mosquini (MDB-RO), Marcos Soares (União-RJ) e Euclydes Pettersen (PSC-MG). Todos da lista tiveram gastos entre R$ 36 mil e R$ 35 mil.

Confira:

O Metrópoles procurou o gabinete de todos os deputados citados, para que pudessem comentar os gastos, mas não obteve retorno até a última atualização da matéria. O espaço permanece aberto para manifestações.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao