19 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

20 de Julho de 2022, 08h:56 - A | A

PODERES / "ESQUEMA" EM RODOVIÁRIA

Após prisão de servidora, MP dá busca e apreensão em gabinete de vereador

O alvo da operação “Expresso Oriente” foi administrador da rodoviária de Formosa entre os anos de 2017 e 2018. Outros dois ex-administradores também foram alvos de mandados

MÁRIO ANDREAZZA
REDAÇÃO G5



A Polícia Civil, em Formosa (282 km da Capital), que prendeu uma servidora municipal, nome não divulgado, acusada de ter desviado pelo menos R$ 100 mil, desde 2018, e cumpriu dois mandados de busca e apreensão, na manhã dessa terça-feira (19), continua as investigações e dá andamento à segunda fase do “Operação Oriente” na manhã desta quarta-feira (20), quando mais quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Ação foi deflagrada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), após as investigações apontarem que a servidora que atua no Terminal Rodoviário estaria recebendo o dinheiro da taxa de embarque, porém, não repassava à prefeitura e ficava com o valor.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A taxa de embarque é uma tarifa obrigatória paga pelo passageiro no momento da compra da passagem e é usada pela administração do terminal, seja ela privada ou pública, para realizar melhorias estrutural do local.

A operação é comandada pelo promotor de Justiça Douglas Chegury e iniciou há seis meses. Apesar das ordens judiciais cumpridas nesta terça, a apuração deve continuar

Na manhã desta quarta (20), os alvos são três ex-administradores do terminal rodoviário.

Três mandados serão cumpridos na casa de dois deles e o quarto no gabinete de um vereador, na Câmara da cidade, esse que foi administrador da rodoviária nos anos de 2017 e 2018.

Os policiais estão apreendendo documentos e computadores. A intenção é investigar o envolvimento de outras pessoas nos desvios públicos.

Caso as acusações se confirmem, os alvos podem ser condenados a até 12 anos de prisão por crime de peculato – que tem como objetivo punir o funcionário público que, em razão do cargo, tem a posse de bem público, e se apropria ou desvia o bem, em benefício próprio ou de terceiros.

Leia mais

Servidora é presa por desviar R$ 100 mil de taxas de embarque em Formosa

“Expresso do Oriente”

O nome da operação faz referência ao serviço de trem de longa distância que, no seu ápice, ligava Paris a Constantinopla. Desde a sua inauguração em 1883 até hoje, a sua rota foi alterada muitas vezes, seja por logística ou por questões políticas.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao