11 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

25 de Julho de 2022, 16h:45 - A | A

PODERES / CORRIDA AO GOVERNO

A menos de um mês para registros no TSE, sete candidatos ainda não têm vice

O impasse se dá devido à polarização da eleição nacional entre Lula e Bolsonaro que, neste ano, tem forte influência nos pleitos estaduais. Partidos têm até o dia 15 para solucionar problema.

RAFAEL DE SOUSA
REDAÇÃO G5



Faltando menos de um mês para definição das chapas eleitorais, dos oito candidatos ao Governo de Goiás, apenas o governador Ronaldo Caiado (União Brasil), que tentará a reeleição, definiu seu vice, o ex-deputado federal Daniel Vilela (MDB).

Gustavo Mendanha (Patriota), Marconi Perillo (PSDB), Major Vitor Hugo (PL), Wolmir Amado (PT), o empresário Edigar Diniz (Novo), a cientista social Cíntia Dias (PSOL) e a professora Helga Martins (PCB) ainda não confirmaram os nomes para vice.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A indefinição na busca do segundo nome para a disputa ao Governo está empacada devido a indefinições dos partidos, que até o momento não definiram quem apoiar.

Mendanha busca um consenso dentro de sua aliança montada até o momento para escolher um vice, ele tem preferência por uma mulher, com o objetivo de mirar o eleitorado feminino. Perillo, apesar de ter lançado sua pré-candidatura, ainda não há um nome para encabeçar a chapa tucana ao seu lado.

Leia mais

Justiça Eleitoral aponta que apenas oito partidos informaram como vão gastar o Fundo Eleitoral

Nova pesquisa BTG mostra Bolsonaro distante de Lula

No caso do deputado federal Major Vitor Hugo, a vaga para vice segue aberta. Vitor Hugo vai oficializar seu nome no pleito na sexta-feira (29) ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL), em Goiânia.

Wolmir Amado ainda articula aliança com PCdoB e PV e não descarta compor com o PSDB de Marconi Perillo. Por enquanto, o partido ainda não anunciou a decisão.

O PSOL é outra sigla que ainda não sabe quem irá compor a vice de Cintia Dias por não descartar composição com o Partido dos Trabalhadores.

O Novo oficializou a candidatura do empresário Edigar Diniz, mas sem definir seu vice.

Analistas apontam que as indefinições a essa altura são resultados da polarização da disputa presidencial entre Lula e Bolsonaro, além da corrida por cadeiras no Legislativo.

Os postulantes ao Governo do Estado tentam montar palanques fortes para não afastar eleitores que sejam simpáticos a uma das duas candidaturas à presidência.

É importante lembrar que as regras eleitorais determinam que sem indicar candidatos a vice partidos não podem participar da eleição.

Por isso, as siglas têm até o próximo dia 15 de agosto para registrar as candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apesar de as convenções partidárias que validam os nomes dos cabeças de chapa serem realizadas até o próximo dia 5.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao