27 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

23 de Junho de 2022, 16h:00 - A | A

GERAL / EM NOVO GAMA

Vizinho não consegue descansar e denuncia Igreja Assembleia por gritaria em cultos

Promotoria de Justiça de Novo Gama abriu investigação contra o templo nesta terça-feira (23).

RAFAEL DE SOUSA
REDAÇÃO G5




Denúncia de um morador do município de Novo Gama (181 km de Goiânia) levou o Ministério Público Estadual (MPGO) a instaurar inquérito civil para investigar a Igreja Assembleia de Deus Templo dos Milagres, localizada no bairro Parque Estrela Dalva VI, por excesso de barulho, perturbação do sossego e suspeita de que o templo não possui autorização de funcionamento.

No documento, a promotora de Justiça Cláudia Gomes solicitou informações sobre a situação cadastral da igreja junto à Secretaria de Desenvolvimento Urbano, responsável por autorizar a abertura de empreendimentos na cidade.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A Pasta respondeu ao MP que a igreja alterou sua denominação de “Igreja Assembleia de Deus A Descida do Espírito Santo” para “Assembleia de Deus Templo dos Milagres” – e que foi notificada para providenciar Alvará de Funcionamento, com prazo final  no dia 03 de junho.

A igreja deveria funcionar às segundas-feiras, às 20h30; às quintas, às 19 horas; aos sábados, às 15 horas, e aos domingos, às 19 horas.

Diante das suspeitas sobre irregularidades na documentação e desrespeito aos horários dos cultos, a promotora solicitou que a Secretaria realize, no prazo de 15 dias, vistoria no templo e envie relatório a fim de verificar a ocorrência de poluição sonora decorrente das atividades de cultos, além de informar se o empreendimento providenciou o Alvará para funcionamento.

Caso a igreja não possua a documentação, Cláudia Gomes solicita que a Pasta acione à polícia para garantir o fechamento da igreja.

A promotora também solicitou que o morador que fez a denúncia à Promotoria de Justiça colha assinaturas, de no mínimo 10 moradores do bairro, no prazo de duas semanas, para que o caso configure lesão ao coletivo.

Outro lado

Até a publicação desta reportagem, o G5News não conseguiu contato com a igreja. O espaço segue aberto para manifestações futuras.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao