07 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

04 de Junho de 2022, 09h:10 - A | A

GERAL / LAUDO DO LACEN-GO

Secretaria de Saúde descarta casos de sarampo em Goiás

Laudo do LACEN-GO, divulgado nessa semana, descartou que o bebê de Trindade e o menino de 5 anos, de Valparaíso, estejam com a doença. Último caso confirmado em Goiás foi em 2020

REDAÇÃO G5



Os casos suspeitos de sarampo em Goiás, sendo em um bebê de 9 meses, morador da cidade de Trindade, e uma criança de 5 anos, de Valparaíso de Goiás, foram descartados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), após resultados de exames realizados pelo Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (LACEN-GO).

Os casos suspeitos eram monitorados pela SES desde a semana passada, mas o laudo foi divulgado nesta quinta-feira (2).

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

De acordo com a Prefeitura de Trindade, o bebê tinha tomado a vacina da tríplice viral no final de abril, não viajou e nem teve contato com caso suspeito de sarampo, o que, apesar de os sintomas apontarem para doença, não tinha explicação de como poderia ter se contaminado.

Agora, foi comprovado que o bebê não está com sarampo. Assim como o menino de 5 anos de Valparaíso.

Ainda conforme a SES-GO, os últimos casos da doença no estado foram registrados em 2020. Em 2021 e 2022 não foram registrados casos de sarampo confirmados em Goiás.

Leia mais

Criança de 5 anos e bebê de 9 meses podem estar com sarampo em Goiás

Ministério da Saúde aponta segundo caso suspeito de “hepatite aguda grave” em Goiás

Aparecida realiza “Semanão contra o Aedes” para controlar surto de dengue

A SES recomenda como medidas de prevenção e controle da doença:

Notificação imediata de todo caso suspeito em até 24 horas;

Adoção de medidas de isolamento do caso suspeito (precauções para aerossóis);

Coleta e envio para o Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (LACEN-GO) de amostras sorológicas, bem como de secreção nasofaringe e urina para realização de RT-PCR

Bloqueio vacinal dos contactantes em até 72 horas (após esse período, a ação de vacinação pode e deve ser realizada, mas passa a ser uma ação de intensificação);

Busca ativa de novos casos suspeitos.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao