25 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

26 de Setembro de 2021, 07h:00 - A | A

GERAL / EM GOIÁS

Rio "gigante" seca, deixa ribeirinhos sem trabalho e preocupa especialistas; assista vídeo

Seca e degradação ambiental geram efeitos inéditos em determinados pontos do Rio Araguaia. Canal longo e largo secou totalmente em Nova Crixás, em Goiás

DA REDAÇÃO DO G5 NEWS
COM METRÓPOLES




A extrema seca registrada em algumas regiões do Rio Araguaia, um dos mais famosos do Centro-Oeste, mostra a gravidade os brasileiros enfrentam neste ano. Os mais afetados são as famílias ribeirinhas do estado de Goiás.

As informações constam numa reportagem especial do site Metrópoles do Distrito Federal.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

Imagens mostram áreas inteiras de canais longos e largos, comumente tomadas pela água e repletas de peixe, estão na terra fofa e na poeira, algo inédito, segundo a população local.

Na região da Viúva, em Nova Crixás (GO), pessoas chegam a passar de carro por um dos canais do Araguaia, onde, até há pouco tempo, corria o leito do rio e só era possível sair de canoa ou barco.

A responsabilidade por esse caos, segundo especialistas, são o desmatamento, assoreamento, degradação de nascentes, uso irregular da água e o consequente desequilíbrio ambiental.

Em entrevista, o delegado de Meio Ambiente da Polícia Civil de Goiás (PCGO), Luziano de Carvalho, afirmou ter desenvolvido projetos de recuperação de nascentes e contenção de voçorocas ao longo do Rio, o Araguaia atingiu um ponto de desequilíbrio, entre o que existe de demanda e ação depredatória e o que o rio tem para oferecer.

Segundo a repórter Galtiery Rodrigues, que fez o trajeto entre Goiânia e Nova Crixás, no caminho já era possível perceber os efeitos da seca e da degradação encontrados no destino.

Eles se mostraram mais graves e nítidos, à medida que se aproximava da região.

Córregos e rios menores, afluentes ou que deságuam no Araguaia, estão secando. Geralmente, nesta época, eles sucumbem à estiagem e ao forte calor, e tendem a reduzir a quantidade de água. Moradores locais, no entanto, relatam uma severidade maior do problema em 2021.

No entanto, mesmo a PCGO aumentando a fiscalização ainda é difícil punir os culpados. Porém, as investigações identificaram suspeitos de iniciar queimada na Chapada dos Veadeiros.

Todos vão responder por crimes ambientais.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao