15 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

22 de Julho de 2022, 10h:23 - A | A

GERAL / “EXTREMAMENTE CRUEL”

Juiz determina exame de “insanidade” para decidir se mulher que colocou fogo na amiga de escola irá a Júri Popular

Islane Pereira Saraiva Xavier segue prese desde o crime, em 31 de março, numa escola estadual de Goiânia. Defesa pediu a conversão da prisão, mas juiz não acatou

MÁRIO ANDREAZZA
REDAÇÃO G5



Islane Pereira Saraiva Xavier, 20 anos, acusada de atear fogo numa “colega” de 17 anos dentro da Estadual do Setor Palmito, em Goiânia, no dia 31 de março teve a prisão mantida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara, que destacou o “meio cruel” em que o crime foi cometido.

O magistrado ainda determinou que a acusada passe por exame de insanidade mental.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A vítima teve cerca de 50% do corpo queimado. Ela ficou mais de dois meses internada no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) e recebeu alta no dia 7 de junho.

Á época dos fatos, segundo a ocorrência, a vítima estava no intervalo das aulas quanto teve o corpo queimado com álcool e fogo. A Polícia Civil disse que, depois do ataque, Islane foi andando calmamente até uma sala, onde ficou esperando a chegada dos policiais.

Com a acusada foram encontradas duas facas.

Leia mais

Estudante se vinga de deboche e coloca fogo em “amiga” dentro da escola

Islane está presa desde a época do crime. Ela responde por tentativa de homicídio.

A defesa da estudante pediu que a prisão fosse substituída por medidas restritivas, o que foi negado pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara. Na decisão, o magistrado apontou que a acusada “se mostrou extremamente cruel com a vítima, lançando álcool e ateando fogo em seu corpo, posto que a vítima, de dezessete anos, agonizou até a chegada de socorro médico, sobrevivendo”.

“A requerente demonstrou-se neutra após o cometimento do delito, enquanto a vítima estava com o corpo em chamas”, disse o juiz.

Alcântara determinou que a acusada passa por um exame pericial de insanidade mental. Após esse laudo, a Justiça ainda precisa ouvir testemunhas, bem como a vítima e a acusada, para definir se a jovem será julgada pelo júri popular.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao