13 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

28 de Junho de 2022, 07h:32 - A | A

GERAL / "ESBARRÃO, DESCULPAS, SOCOS E TIROS"

Jovem baleado durante show de Henrique e Juliano presta depoimento e dá sua versão à polícia

O jovem contou que estava saindo do show quando esbarrou no soldado, pediu desculpas e acabou levando um soco de outro homem que estava ao lado. No meio da confusão o soldado atirou

REDAÇÃO G5



O gerente de uma empresa de engenharia civil Francis Junio Ribeiro Amorim, de 27 anos, prestou depoimento à polícia na investigação sobre a noite em que ele foi baleado durante um show da dupla Henrique e Juliano em Goiânia. O jovem disse que está de repouso em casa se recuperando lentamente dos tiros que levou e passa bem.

Suspeito de ter atirado contra Francis, o soldado Pedro Henrique Cândido Negreiro, de 32 anos, foi peso pelo comandante do próprio batalhão da Polícia Militar em que é lotado. O policial chegou a dizer que sentiu que alguém tentava pegar a arma dele e que atirou para se defender.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

A versão de Francis sobre o que aconteceu foi colhida pela Polícia Civil na sexta-feira (24). "Lembro do que aconteceu, que houve um esbarrão, lembro dos empurrões e dos tiros", resumiu.

O jovem contou que estava saindo do show quando esbarrou no soldado, pediu desculpas e acabou levando um soco de outro homem que estava ao lado.

Francis disse que empurrou esse rapaz que o agrediu e, em seguida, foi socado pelo soldado. O jovem contou que então empurrou o policial, que caiu no chão e atirou.

O jovem contou ainda que correu assim que ouviu os disparos, mas que sentia muita dor e acabou caindo. Francis disse que não se lembra bem de como foi socorrido, que teve apagões, sangrou muito, mas que está se recuperando bem.

"A recuperação é lenta, tenho dores na mão, onde fiz a cirurgia, estou com duas costelas quebradas mas estou de repouso em casa", disse.

Segundo o jovem, apesar de ter receio de não ter a justiça feita, ele acredita que é possível: "Tenho esperança".

A reportagem entrou em contato com a Secertaria de Segurança Pública (SSP) por e-mail e mansagem às 11h54 desta segunda-feira (27) para saber sobre o andamento das investigações e aguarda retorno.

(Informações G1)

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao