27 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

23 de Outubro de 2021, 09h:04 - A | A

GERAL / LEVANTAMENTO NACIONAL

Goiânia alcança 6ª colocação entre as capitais com excelência em gestão fiscal

Apenas 11,7% das cidades brasileiras alcançaram esse nível de qualificação, que é definido por meio de índice calculado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro

DA REDAÇÃO




Goiânia está no seleto grupo de municípios do país, 11,7% dos mais de 5 mil, que alcançou o nível de excelência em gestão fiscal. O resultado positivo da capital goiana, divulgado nesta semana, é com base em um levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, que calcula o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF, edição 2021).

Segundo o estudo de uma das principais federações de indústrias do país, entre as 27 capitais brasileiras, Goiânia assume a 6ª posição entre as nove que atingiram o índice de excelência. A Firjan avaliou 5.239 municípios brasileiros e estipulou uma pontuação que vai de zero a um, sendo que quanto mais próximo de um melhor a gestão fiscal. Goiânia alcançou a pontuação de 0,8293, bem acima da média das cidades brasileiras que foi de 0,5456.

O prefeito Rogério Cruz avalia que o resultado comprova a “responsabilidade do poder público” com a capital goiana. “O equilíbrio fiscal é o primeiro compromisso de nossa gestão e deve estar alinhado com os investimentos que a cidade e os goianienses precisam”, acrescenta.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O IFGF é composto pelos indicadores de Autonomia, Gastos com Pessoal, Liquidez e Investimentos. Após a análise de cada um deles, cada município é classificado em um dos conceitos do estudo: gestão crítica (resultados inferiores a 0,4 ponto), gestão em dificuldade (resultados entre 0,4 e 0,6 ponto), boa gestão (resultados entre 0,6 e 0,8 ponto) e gestão de excelência (resultados superiores a 0,8 ponto).

Ranking

De acordo com o levantamento da Firjan, somente 30,6% dos municípios brasileiros têm boa gestão fiscal e apenas 11,7% do total uma gestão de excelência. No ranking das capitais, a primeira colocada é Salvador (0,9401 ponto), seguida de Manaus (0,9140 ponto), Vitória (0,8827 ponto), Boa Vista (0,8650 ponto), Rio Branco (0,8336 ponto), Goiânia (0,8293 ponto), São Paulo (0,8206 ponto), Curitiba (0,8176 ponto) e Fortaleza (0,8109 ponto).

Entres os 246 municípios goianos, apenas 29 registram o índice de excelência em gestão fiscal. São eles: Paraúna (0,992), Ouvidor (0,978), Campo Alegre (0,939), Mineiros (0,925), Nova Aurora (0,903), Quirinópolis e Cumari (0,879), Aparecida de Goiânia, (0,879), Palmeiras de Goiás (0,871), Nerópolis (0,861), Santo Antônio de Goiás e Itarumã (0,857), Catalão (0,854), Goianira (0,851), Goianésia (0,847), Barro Alto (0,842), Alto Horizonte (0,835), Edéia (0,830), São Simão, Vicentinópolis e Goiânia (0,829), Senador Canedo (0,826), Rialma (0,822), Aruanã (0,820), Palestina de Goiás (0,817), Itaberaí (0,815), Orizona (0,814), Inaciolândia (0,808) e Santa Rosa de Goiás (0,802).

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao