14 de Agosto de 2022
icon instagram icon facebook icon twitter icon youtube

GOIÂNIA

21 de Junho de 2022, 18h:27 - A | A

GERAL / HOMICÍDIO BRUTAL

Corretor de imóveis é queimado vivo em fazenda; corpo foi encontrado em chamas

Wellington Freitas ficou “desaparecido” por cerca de 14 horas, em Rio Verde, na noite dessa segunda-feira (20) à margem da BR-060, onde fica sua propriedade recém-comprada

MÁRIO ANDREAZZA
REDAÇÃO G5



Corretor de imóveis rurais, Wellington Freitas, 67 anos, foi estrangulado e queimado ainda vivo, na noite dessa segunda-feira (20), às margens da BR-060, em Rio Verde (231 km da Capital, nas proximidades de uma de fazenda que tinha comprado recentemente.

De acordo com a ocorrência, Wellington saiu de casa por volta das 9h em sua caminhonete, porém, ficou desaparecido por 14 horas, não respondia às tentativas de contato da família, que comunicou o fato à Polícia Militar (PM) e pediu que a empresa de seguros rastreasse o veículo.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

Os policiais conseguiram localizar a caminhonete no Bairro Valdeci Pires. Equipes foram para região, mas não encontraram. Algum tempo depois, a localização deu numa estrada vicinal na GO-333, onde a camionete estava abandonada e com parte do banco queimado, mas sem a vítima.

Buscas continuaram e Wellington foi localizado no sentido oposto de onde a caminhonete estava abandonada, sendo perto de sua fazenda, próximo ao córrego do Rio Doce, sentido Jatai, onde o corpo ainda estava em chamas.

Leia mais

Corpo queimado dentro de caixa é de adolescente que saiu de casa para ir em festa

Assassino era “namorado” e fez “limpa” na casa de contador

A Polícia Militar (PM) isolou o local e acionou a Delegacia de Polícia Civil e Polícia Técnico-Científica (PTC), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado, segundo testemunhas ainda pegando fogo, e o perímetro para coletar evidências que ajudem a determinar as circunstâncias do crime e identificar o assassino.

Em seguida, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exame de necropsia antes de o corpo ser liberado para os procedimentos junto à família.

Análise preliminar dos peritos apontam que o corretor foi estrangulado, mas quando os bandidos atearam fogo em seu corpo, ele ainda respirava.

Segundo o delegado Adelson Candeo, responsável pelas investigações, não há evidências de que Wellington estivesse recebendo ameaças, porém, mas que devido à profissão, a vítima fazia transações bancárias de valores altos e que em alguns casos, geralmente envolvendo muito dinheiros, havia desentendimentos sérios em negociações.

Nas últimas semanas, a vítima tinha comprado uma fazenda e um avião. A linha de investigação no momento é de que o crime possa ter ligação com o trabalho.

No entanto, ainda não há suspeitos pelo crime e, consequentemente, ninguém foi preso.

Ainda segundo o delegado, após ouvir familiares de Wellington, pessoas que trabalhavam com ele serão ouvidas oficialmente na delegacia.

Caso segue em investigação.

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao