27 de Junho de 2022
icon facebook

GOIÂNIA

26 de Outubro de 2021, 09h:17 - A | A

GERAL / VEJA VÍDEO

Corpo de pastor que acreditou que ressuscitaria é enterrado após três dias

Esposa do religioso havia impedido o enterro até a madrugada desta terça-feira (26), em Goiatuba

DA REDAÇÃO




O corpo do pastor que escreveu que disse que ressuscitaria após três dias de sua morte foi enterrado na madrugada desta terça-feira (26), em Goiatuba, no sul goiano. Huber Carlos Rodrigues atraiu uma multidão para o cortejo.

Centenas de pessoas esperaram durante horas o corpo na porta da funerária da cidade. A multidão ficou ainda debaixo de chuva enquanto aguardava para o cortejo.

>>> Clique aqui e receba notícias de Goiás na palma da sua mão

>>> Acesse este link e siga a notícia em tempo real no Instagram

O enterro só ocorreu depois da mulher do religioso liberar o corpo, após se convencer de que ele não ressuscitaria mais. Até nessa segunda-feira (25), ela havia proibido que o corpo fosse enterrado. O corpo estava na funerária desde sexta-feira (22).

Vídeos registrados no local mostram uma multidão cantando em homenagem ao pastor. Uma live feita no Facebook chegou a ter 11 mil pessoas online. Pessoas filmavam tudo, acreditando que o religioso iria ressuscitar. No entanto, como o fato não ocorreu, o enterro foi feito às 0h30.

Huber Carlos Rodrigues morreu por complicações cardiorrespiratórias em um hospital de Itumbiara, a 55km de Goiatuba.

Após sua morte, o corpo ficou em um local refrigerado na funerária, a pedido da família. A Prefeitura de Goiatuba informou, por meio de nota, que a Vigilância Sanitária chegou a notificar a funenária para que o sepultamento fosse imediato, o que não ocorreu.

O pastor deixa a esposa, de um casamento que durou 26 anos. 

Carta com revelações

Assinada em 2008, uma carta do pastor diz que ele teve revelações do Espírito Santo e que passaria por um "mistério de Deus". Este mistério seria a sua ressurreição, três dias após sua morte, às 23h30. O prazo terminou na noite dessa segunda-feira (25).

Na carta, ele dizia que o corpo deveria ser preservado. Durante os três dias, o cadáver não teria mau cheiro e não sofreria com a decomposição, "pois o próprio Deus terá preservado minha carne e meu cérebro para passar por essa experiência", escreveu.

O pastor disse que, após sua ressurreição, as pessoas começariam a ouvir e a crer na mensagem de Deus. A declaração foi assinada, na ocasião, por duas testemunhas. 

(Com Metrópoles)

Álbum de fotos

Reprodução

Comente esta notícia


GRUPO ANDRÉ MICHELLS

Av. T-4, Ed. Buena Vista Office Design - 16° andar - 1613 Goiânia - GO

(62) 3988-7592

reportermt
g5
conexao